Xilitol pode reduzir carga viral de SARS-CoV-2 no aparelho respiratório superior

Xilitol pode reduzir carga viral de SARS-CoV-2 no aparelho respiratório superior

Substância é apontada como agente antiviral promissor contra o coronavírus 

Muito ainda se discute sobre diretrizes essenciais, tratamentos efetivos e novas terapias que possam minimizar o contágio pela infecção do SARS CoV-2, agente causador da Covid-19.

Estudos publicados pela Science, prestigiada revista cientifica, indicam que o nariz é a principal porta de entrada do novo coronavírus no organismo2-4. Por isso, tornou-se essencial entender como terapias intranasais poderiam evitar a transmissão do vírus e inibir a infecção do SARS-CoV-2. 

Nesse contexto, uma revisão publicada pelo Journal of Allergy and Infectious Diseases6 avaliou pesquisas recentes e sugere que agentes com propriedades antivirais administrados pela via intranasal, podem ser mais uma opção para diminuir a atividade do vírus no trato respiratório e, assim, auxiliar na redução da transmissão e evolução da doença.6 

De acordo com a publicação, um estudo in vitro, conduzido por Bansal et al.7, comparou a ação antiviral de iota-carragenina e xilitol contra SARS-CoV-2. Eles descobriram que iota-carragenina em concentrações tão baixas quanto 6 µg/mL e o xilitol em uma concentração de 5% m/V –  facilmente incorporadas em sprays intranasais – demonstram inibir a infecção por SARS-CoV-2 em culturas de células Vero.6,7 

Outro modelo de estudo, esse com animais, conduzido por Xu e colaboradores8, demonstrou que o xilitol na dieta teve atividade antiviral contra o vírus sincicial respiratório humano (VSRh). Os camundongos receberam xilitol via oral, por 14 dias, antes do desafio do vírus e três dias após o desafio. Os resultados indicaram uma redução de vírus encontrados nos pulmões dos animais que receberam xilitol por via oral, o que inibiu e diminuiu a gravidade da infecção. Também foi descoberto que menos Linfócitos CD3 + e CD3 + CD8 + foram ativados nos camundongos que receberam xilitol na dieta, o que indicou uma redução na resposta associada à inflamação e à infecção por VSRh.6,8

Os autores da revisão concluíram que a terapia intranasal tem potencial para agilizar a recuperação de pacientes com Covid-19 em quadros leves e moderados, reduzir a transmissão da infecção de pessoa para pessoa e, consequentemente, auxiliar na prevenção da infecção dos profissionais de saúde por meio de exposição em procedimentos e exposição pré-operatória, além da possibilidade de ser utilizado como profilaxia pós-exposição.6 


Mecanismos de ação do xilitol9,10

O sistema imunológico tem como uma das suas principais funções manter a homeostase e prevenir ou eliminar infecções. As defesas do organismo contra bactérias e vírus atuam de duas formas: sob imunidade inata, que já nasce com o indivíduo e fornece proteção imediata contra invasão microbiana, e a imunidade adaptativa, aquela que fornece uma defesa mais tardia e adquirida ao longo da vida, sendo mais especifica contra infecções.9,10 

A imunidade inata do nariz e dos seios paranasais ocorre por meio do epitélio mucoso e glandular, que secreta uma grande variedade de moléculas de defesa, capazes de matar ou neutralizar microrganismos. O xilitol tem um papel importante neste processo imunológico, uma vez que potencializa a produção de óxido nítrico (NO), substância que faz parte da primeira linha de defesa do corpo contra microrganismos, por meio da sua ação antiviral e antibacteriana. Além disso, o xilitol também promove o aumento do batimento ciliar da mucosa nasal, um mecanismo de defesa respiratório que ajuda a expelir o vírus para fora do organismo.9,10  


Referências consultadas
1.    WHO Coronavirus (COVID-19) Dashboard. World Health Organization
https://covid19.who.int/   Acesso em 06 de abril 2021
2.    Daly JL et al. Neuropilin-1 is a host factor for SARS-CoV-2 infection. Science 370:861–865. 2020. doi:10.1126/science.abd3072.
3.    Cantuti-Castelvetri, L et al. Neuropilin-1 facilitates SARS-CoV-2 cell entry and infectivity. Science 370:856–860. 2020.
4.    McRae M. Researchers discover a second 'key' that makes the new coronavirus so infectious. Science Alert, 23 de outubro de 2020 (Disponível em: https://www.sciencealert.com/a-second-key-used-by-sars-cov-2-to-enter-cells-could-explain-why-it-s-so-infectious). 
5.    Zou L, Ruan F, Huang M, et al. Sars-cov-2 viral load in upper respiratory specimens of infected patients. N Engl J Med. 2020;382(12):1177-1179. 
6.    Go CC, Pandav K, Somagutta MR et al. Intranasal therapy and COVID-19: A comprehensive literature review. J Allergy Infect Dis 2021; 2(1):9- 16.
7.    Bansal S, Jonsson CB, Taylor SL et al. Iota-carrageenan and Xylitol inhibit SARS-CoV-2 in cell culture. bioRxiv 2020.08.19.225854; doi: https://doi.org/10.1101/2020.08.19.225854
8.    Xu ML, Wi GR, Kim HJ, Kim H-J. Ameliorating effect of dietary xylitol on human respiratory syncytial virus (Hrsv) infection. Biol Pharm Bull. 2016;39(4):540-546.
9.    Fokkens WJ, Lund VJ et al. European Position Paper on Rhinosinusitis and Nasal polups 2020 Rhinology.2020 Suppl.29:1-464.
10.    Lin L, et al. Xylitol nasal irrigation in the treatment of chronic rhinosinusitis. Am J Otolaryngol. 2017;38(4):383-389.